Estou aqui editando as fotos lindas de um dos ensaios que mais amei fazer. Não só pela beleza dessa grávida top model 😍, mas porque sabia a importância dessas fotos e quanto esse momento foi esperado.
Me fez sentir que é isso que eu adoro fazer.
A gestação da Luiza não está sendo fácil né Renata? mas está sendo um milagre e fico toda boba aqui trabalhando nessas fotos com todo carinho, para quando ela crescer, veja a felicidade que a esperava.
Por isso conhecer a história de cada cliente antes de fotografar é MUITO importante pra mim.
Qual é a sua história?


Um pouco sobre minha fotografia

Já tem um tempo que estou querendo compartilhar umas coisas. Tanto dicas de fotografia, dicas de poses para fotos, roupas para fotos, fornecedores para festas, quanto outras "cositas mas". Além disso estou encontrando o porque gosto de fotografar de um jeito e também me identificar no que faço.
Comecei então, uma busca de me conhecer, me aceitar e também de me expressar. E na fotografia é um meio de retratar aquilo que gostaria de ter para mim, aquilo que faço para o outro.

Exemplo1: Eu não gosto de fotografar o newborn com roupinha de girafa, a não ser que seja a roupinha dele. Gosto do real, do verdadeiro, do que pertence a cada um. 
Num ensaio de gestante, a produção será feita baseada no que ela gosta de usar. Se ela gosta de maquiagem, vamos usar. Se ela não gosta, eu não vou maquiar só para ficar mais "bonita" na foto. 
Vou explicando essas coisas aos poucos e usando fotos para ilustrar o que estou querendo dizer, compartilhando com vocês um pouco de mim e porque eu gosto de fotografar dessa maneira e aos poucos vou dando sugestões/dicas sobre o assunto abordado. 

Meu pai SEMPRE gostou de fotografia e SEMPRE fotografou a gente (minha família). Veja que algumas fotos são posadas, outras o ambiente arrumado, e outras não.
O que acabou de acontecer, o que eu já fazia no cotidiano. Me identifico muito com essa maneira. 
Não estou querendo dizer que outra maneira de fotografar é feio, errado ou sei lá o que. Não é isso de forma alguma. O que eu quero mostrar é de onde vem o que faço, como EU fotografo.
Eu vejo assim e me identifico.



 4

Nas fotos 1, 2, 3 e 4 estou brincando no tanque, na pia e no bidê ( uma pena não ter mais bidê hoje nas casas). 
Podemos sugerir uma brincadeira que a criança está acostumada a brincar e então registramos aquela alegria de um momento que ela está confortável. Com certeza teremos fotos mais verdadeiras e expontâneas.

 6

Na foto 5 estou batendo um prato de comida, quando pequena não dava trabalho pra isso.
Na foto 6 a boneca era minha mesmo, era a moranguinho. Minha mãe guardou ela até pouco tempo.


 8
Na foto 7 estamos minha irmã e eu, ela 8 anos mais velha cuidava de mim como se fosse sua boneca, isso anos mais tarde se tornou um problemão pra mim, kkkkkkkk
É uma foto posada, e não vejo problema nisso.
Samambaia sempre teve na minha casa, curioso isso.

Na foto 8 tenho esse tipo de foto em muitas edições, meu pai sempre gostou de fazer, brincar desse angulo.
Esse era o quarto que dividi com minha irmã por 9 anos, ele passou por várias modificações, mas essa foi a primeira versão. 

 A importancia que vejo nos elementos naturais da cena de cada retrato é que eles nos ajudam a revisitar memórias que podem estar esquecidas, outras que nem lembramos mesmo. Mas com a fotografia, podemos voltar no tempo e viver aquele momento das nossas vidas e quem sabe até resignificá-las.


Esperando o Gael

A Bia é minha amiga da vida toda, crescemos juntas e separadas. Nunca fomos grudadas, mas sempre juntas e presentes. Ela é divertida, inteligente, tem uma memória ótima para jingle, ( aquelas musicas de comercial), Também somos bem diferentes, mas gostamos das mesmas coisas.
Como é maravilhoso ter alguma assim na vida, e eu pude registrar a sua primeira gestação aqui, os primeiros dias da Maitê aqui, um pouco do seu crescimento aqui e hoje tenho o privilégio de poder registrar também a espera do Gael. Daqui algumas semanas a sua chegada e seus primeiros dias.
Quanta felicidade no meu coração ser a pessoa que pode fazer isso.
Amiga, espero que pelo meu olhar, você lembre desses momentos com carinho e como realmente foi. Amo você e sua família.




















 

       





















Abelhas

Hoje o post é bem diferente do que faço, e pretendo fazer mais vezes. Há tempos que penso em escrever um pouco sobre a minha fotografia e como eu fotografo. 
Nesses poucos 3 anos de experiência na fotografia, foram muito importantes para eu me descobrir e me conhecer melhor. E por isso estou constantemente pensando em como capturar, produzir e revelar momentos que expressam a realidade, o verdadeiro, aquilo que queremos guardar pra sempre.
Este blog será muito mais movimentado daqui pra frente, com informações úteis de fotografia, dicas para gestantes, bebês, newborns, festas infantis, casais... e um pouco de mim.

Hoje pude parar um pouquinho e fotografar essas flores lindas e cheias de cor. Sendo visitadas por abelhas. Precisei de tempo e paciência. Esperar o momento exato para focar, escolher o melhor ângulo, a melhor luz e apertar o botão. E não é que me fez bem. Ficar ali, só contemplando uma beleza que está disponível todos os dias, só me basta parar e admirar.